Helder Filipe Gonçalves nasceu em Castelo Branco em 1976. No Conservatório desta cidade terminou o Curso Complementar de Piano. Após uma passagem pela Escola de Jazz do Hot Clube Portugal, completou a Licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, onde trabalhou com Christopher Bochmann, António Sousa Dias e António Pinho Vargas, entre outros. Terminou, mais tarde, uma Pós-Graduação em Tecnologias Educativas, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

Concluiu seminários de doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, onde trabalhou numa tese relacionada com a música acusmática em contextos audiovisuais, orientado pelo Prof. Dr. Tomás Henriques. Após mudança para a Universidade da Beira Interior concluiu o Doutoramento em Ciências da Comunicação com uma tese sobre o som no cinema português contemporâneo, com a orientação do Prof. Dr. Vasco Diogo.

É docente de Laboratório de Som e de Design de Som nos cursos de Cinema, Design Multimédia e de Desenvolvimento de Jogos Digitais da UBI. Tem leccionado Composição e A.T.C. nos Conservatórios da Covilhã, Fundão e Belmonte. Leccionou Som e Design de Som na Escola Superior de Tecnologias de Abrantes (IPT). Leccionou Orquestração, Formação Auditiva, Acústica e Som para Vídeo e Multimédia na ESART (IPCB).

Tem feito diversos arranjos, também música e som para filmes experimentais. Nas suas composições é fácil encontrarmos intenções programáticas, assim como a influência da música para cinema e de processos estruturantes cinematográficos. Tende a valorizar a experiência do ouvinte como meio de enriquecer os resultados sonoros, metaforicamente e/ou nas relações com as imagens e a narrativa.

Tem criado assiduamente sonoplastias e composições musicais para peças teatrais estreadas pelo Teatro das Beiras (Covilhã). Como investigador tem abordado temas ligados à criação musical e sonora para audiovisuais, semiótica e significação musical, cinema e narrativa.

Crie seu próprio site com Webador